Quando conheci o Marcio que era salva vidas na Praia de Pernambuco, sempre encontrava o Bob roubando porções de pasteis e peixe, ele era muito malandro, ficava quietinho olhando e quando a pessoa ía no mar ou vacilava ele comia TUDO

Ele morava numa casa velha abandonada, tinham dois caras que “cuidavam” dele, com a ajuda dos surfistas e vizinhos o Bob vivia feliz correndo nas areias fofas, correndo e latindo atrás de motos.

Mas um dia a casa caiu literalmente, a casa abandonada foi demolida e o Bob ficou literalmente sem teto, os “donos” foram cada um para um lado e o coitado lá sem rumo. Um amigo que também ajudava cuidar dele uma vez comentou com a gente que na noite anterior quando estava uma super tempestade o Bob estava parado na chuva onde era a casa dele.

Não teve como eu dizer não de novo, fomos lá e resgatamos e ele tornou-se mais um integrante da família MOA. Hoje ele é o anfitrião de quarto patas, recebe bem os hóspedes, só não gosta muito de cachorros muito grandes, ele fica olhando torto e com medo de perder o posto.

Bob veio de mansinho e hoje também já somos completamente apaixonados por sua doçura e companheirismo.